POLÍTICA

min de leitura - #

União Brasil oficializa Sérgio Moro como candidato ao Senado Federal

Da Redação

| Edição de 02 de agosto de 2022 | Atualizado em 02 de agosto de 2022
Imagem descritiva da notícia União Brasil oficializa Sérgio Moro como candidato ao Senado Federal

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O partido União Brasil confirmou, na manhã desta terça-feira, a candidatura do ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, ao Senado pelo Paraná. A decisão foi anunciada em convenção realizada pela sigla, em Curitiba. O advogado Luís Felipe Cunha, de Curitiba, será seu suplente.

“Sou pré-candidato ao Senado pelo Paraná, a minha terra. Precisamos de renovação e mudança. Eu acredito que, a partir do Paraná, podemos criar novas leis, fazer cumprir aquilo que é justo na legislação atual e fiscalizar o executivo com rigor”, disse Moro em vídeo exibido durante coletiva de imprensa nesta terça em Curitiba.

O ex-juiz na Lava Jato afirmou que decidiu retornar à vida pública “para defender o fim do privilégio dos poderosos”. “Eu conduzi, com o apoio de vocês, a maior investigação da história do Brasil sobre corrupção”, disse Moro sobre sua atuação na operação.

A convenção partidária contou com a presença de Nelson Fernando Padovani, vice-presidente estadual da União Brasil e também pré-candidato a deputado federal, e do secretário-chefe da Casa Civil, João Carlos Ortega, representando o governador Ratinho Junior (PSD). 

O partido União Brasil havia informado a pré-candidatura do ex-ministro ao cargo em meados de julho. Nesta terça, a sigla declarou que deverá apoiar a candidatura à reeleição do governador Ratinho Junior (PSD).

Moro, inicialmente, informou que poderia concorrer à Presidência da República. Depois, tentou transferência de domicílio eleitoral para o estado de São Paulo, sem informar para qual cargo pretendia.

O pedido foi negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo. Na decisão, o tribunal entendeu que Moro, que é paranaense, não tem vínculo nenhum com o Estado. Com a decisão, o então pré-candidato às eleições de 2 de outubro passou a mirar outros cargos pelo Paraná.


Candidato abandonou  cargo de juiz para ser ministro da Justiça

Sérgio Fernando Moro nasceu em 1972, em Maringá, no norte do Paraná. É casado com a advogada Rosângela Wolff Moro, com quem tem dois filhos.

O ex-juiz formou-se em Direito na Universidade Estadual de Maringá (UEM), fez aperfeiçoamento na escola de Direito da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Concluiu o mestrado em Direito do Estado na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2000, e o doutorado, em 2002, pela mesma instituição, na área de Direito Constitucional.

Moro foi titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, especializada em crimes financeiros e de lavagem de dinheiro, e ganhou projeção nacional após ser responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância.

Ele deixou o cargo de juiz federal em 16 de novembro de 2018, para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública no governo Bolsonaro.

Em 2020, ele pediu exoneração do cargo de ministro motivado pela decisão de Bolsonaro de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, que havia sido indicado por ele.