CIDADES

min de leitura - #

Bolsonaristas bloqueiam rodovias na região em protesto à vitória de Lula

Cindy Santos

| Edição de 31 de outubro de 2022 | Atualizado em 31 de outubro de 2022
Imagem descritiva da notícia Bolsonaristas bloqueiam rodovias na região em protesto à vitória de Lula

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Contrários ao resultado das eleições presidenciais, apoiadores do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), protagonizaram protestos ontem em diversos trechos de rodovias estaduais e federais do Paraná e em outros pontos do país. Na região, manifestações foram registradas em Apucarana, Arapongas, Jandaia do Sul e Jardim Alegre onde pistas foram bloqueadas de modo parcial.

Em Apucarana, o protesto começou por volta das 18 horas com o bloqueio da BR-376, em frente ao Batalhão de Infantaria Mecanizada (BIMec), e reuniu caminhoneiros e outros moradores da cidade insatisfeitos com o resultado das urnas. 

“Vim aqui lutar pelo direito das minhas filhas e dos meus futuros netos. Não podemos deixar como está”, disse a apucaranense Andréia da Mata, que foi até a rodovia acompanhada das filhas adolescentes. 

Outro apoiador de Bolsonaro, apucaranense Edson Luiz de Lima acredita que houve fraude na eleição e espera que as mobilizações surtam efeito. “A maior pesquisa para mim é o povo. O Bolsonaro arrastava multidões e o adversário não”, disse o apucaranense Edson Luiz Ferreira de Lima. 

Durante o ato os bolsonaristas impediram a passagem de caminhões, liberando apenas carros baixos causando grande lentidão. 

Também na BR-376, na altura do Parque de Exposições de Jandaia do Sul, manifestantes impediram a passagem de caminhões, liberando os veículos de passeio.

Em Arapongas, eleitores de Bolsonaro atearam fogo em pneus para fazer uma barreira na PR-444 e chegaram a pedir intervenção militar. A cada 30 minutos, a passagem era liberada para carros de passeio, veículos com carga perecível e com remédios.

“Não concordamos com o resultado da eleição e estamos brigando pelo futuro dos nossos filhos para que não vire um país comunista como os demais da América do Sul”, disse o caminhoneiro Fernando Bonfim.

REGIÃO

A PR-466, em Jardim Alegre, foi o primeiro ponto tomado por bolsonaristas. Um grupo de caminhoneiros se colocou nas margens da rodovia e improvisou uma barreira, ateando fogo em paus e pneus no fim da manhã. 

A Polícia Militar (PM) deslocou uma equipe para o local, em reforço em apoio à Polícia Rodoviária Estadual (PRE), do posto de Porto Ubá, para garantir a passagem de veículos.

No Paraná, segundo balanços divulgados na noite de ontem pelas polícias rodoviárias estadual e federal, pelo menos 65 pontos de bloqueio eram registrados em protesto contra o resultado da eleição presidencial.