CIDADES

min de leitura - #

Entidades de Apucarana aderem à campanha Sinal Vermelho

Da Redação

| Edição de 23 de agosto de 2022 | Atualizado em 23 de agosto de 2022
Imagem descritiva da notícia Entidades de Apucarana aderem à campanha Sinal Vermelho

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Prefeitura de Apucarana, em conjunto com o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ/PR), Câmara Municipal de Vereadores, através da Procuradoria da Mulher, e Câmara da Mulher Empreendedora de Apucarana, iniciou ontem uma mobilização visando à adesão de entidades públicas e privadas à Campanha Sinal Vermelho. Criada há dois anos pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a iniciativa de combate à violência doméstica contra a mulher atualmente já é lei em 18 estados e no DF. 

No Paraná, a campanha é amparada pela Lei Estadual nº 20.595/21, que instituiu o Programa de Cooperação e Código Sinal Vermelho. O lançamento das estratégias locais, com capacitação de representantes de entidades que já aderiram à campanha aconteceu em ato no salão nobre. Além de distribuição de cartazes para serem afixados em ambientes públicos de grande circulação de pessoas, e folhetos com orientação sobre os objetivos da campanha, o evento contou com uma palestra proferida pelo comandante do 10º Batalhão da Polícia Militar do Paraná (BPM), tenente-coronel Marcos José Facio, que falou sobre as formas corretas de ajudar a vítima e principais canais de denúncias.

O prefeito Júnior da Femac participou do evento acompanhado da primeira-dama e empresária Carmen Lúcia Izquierdo Martins. “Enquanto sociedade já evoluímos muito tanto no aspecto cultural, quanto institucional. Hoje, ao reconhecermos a existência da violência contra a mulher já demos um grande passo. Mas temos que agir de forma incessante, todos os dias, levar a campanha para a rua, para as redes sociais, para o comércio, indústrias, repartições públicas, escolas e faculdades, em um verdadeiro pacto para não permitir que nenhuma mulher sofra mais violência doméstica em Apucarana”, convocou o prefeito. 

Segundo frisou a secretária Municipal da Mulher e Assuntos da Família, Denise Canesin, o “X” vermelho é mais uma estratégia de enfrentamento que precisa, acima de tudo, ser conhecida pela população. “A campanha Sinal Vermelho é um instrumento de denúncia contra a violência doméstica. Com um “X” na palma da mão (feito preferencialmente com batom, caneta ou objeto similar na cor vermelha), a mulher pode pedir ajuda para qualquer estabelecimento comercial, onde o atendente irá chamar a polícia”, explica a secretária. 

A primeira-dama e empresária Carmen Lúcia Izquierdo Martins disse que o combate à violência contra a mulher é responsabilidade de todos. “Essa campanha não é da prefeitura, de uma secretaria ou de uma entidade, ela é de Apucarana. Todos temos que divulgar e estarmos atentos ao sinal (X) para darmos rápida resposta, pois quem está em desespero não pode esperar”, frisou Carmem.