CIDADES

min de leitura - #

Região criou 820 postos de trabalho com carteira assinada no trimestre

Da Redação

| Edição de 28 de abril de 2022 | Atualizado em 28 de abril de 2022
Imagem descritiva da notícia Região criou 820 postos de trabalho 
com carteira assinada no trimestre

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A região encerrou o primeiro trimestre com 820 novos postos de trabalho. Só no mês de março foram criadas 381 vagas de emprego com carteira assinada. Os dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados ontem pelo Ministério do Trabalho e Previdência, são referentes aos 27 municípios do Vale do Ivaí mais Arapongas. 

No trimestre, o município de Apucarana lidera na geração de vagas com 471 postos de trabalho com destaque para indústria (355) e serviços (194). Já em março, foram 41 postos com carteira assinada, a maior parte no setor de serviços (61). Já o comércio que sempre esteve entre as atividades que mais empregam no município, perdeu 36 postos de trabalho.

Ivaiporã aparece na segunda posição do ranking trimestral com saldo positivo de 122 vagas, lideradas pelo setor de serviços (122) e indústria (36). Já no mês de março, o desempenho foi de 15 postos de trabalho.

Marumbi ocupa o terceiro lugar no ranking regional com saldo de 61 vagas de empregos criadas no trimestre. Só no mês passado foram criados 71 postos,puxados pelo bom desempenho da agropecuária agropecuária (88). 

O município com maior número de vagas criadas em março é Arapongas. Depois de dois meses seguidos com saldos negativos, o município fechou mês com 158 postos de trabalho criados, a maior parte no setor de construção (91) e de serviços (57). No trimestre, entretanto, o saldo é de 37 postos de trabalho, o quarto maior da região. 

REGIÃO

Em toda região, março encerrou com a geração de 381 novos postos de trabalho.  As vagas foram criadas no setor de serviços (186), agropecuária (119), construção (79) e indústria (69). O comércio perdeu 72 postos de trabalho na região.  

No comparativo, o mês de março deste ano registrou queda de 52,2% em relação ao mesmo período do ano passado quando a região criou 798 vagas. Os empregos também recuaram no comparativo trimestral. Entre janeiro a março deste ano os 27 municípios analisados criaram 820 postos de trabalho contra 3.037 no mesmo período do ano passado, queda de 72,9%. 

Segundo o economista Rogério Ribeiro, professor do campus de Apucarana da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) o bom desempenho do ano passado foi registrado em um período em que a economia começou a reagir a crise e ao desemprego causado pela pandemia da Covid-19 em 2020. “Por conta da retomada do crescimento em 2021 tivemos um aumento nas contratações”, comenta.

No entanto, o economista considera os números deste ano positivos quando comparados ao período pré-pandemia. “Considerando os níveis de atividade atuais os números positivos são favoráveis”, assinala.

O economista analisa que a estabilidade do câmbio - que deve fechar em torno de R$ 5,20 - e o aumento da demanda interna e externa são fatores que aumentam a expectativa de crescimento da economia, o que implica numa maior geração de emprego. “A expectativa mediana é de um crescimento de 0,75%, mas acredito que chegue a 1%”, conclui. (COLABOROU ADRIANA SAVICKI)