GERAL

min de leitura

Aplicativo Mães do Brasil oferece formação para voluntariado feminino

Agência Brasil (via Agência Brasil)

| Edição de 07 de junho de 2022 | Atualizado em 07 de junho de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A secretária Nacional de Políticas para as Mulheres do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH), Ana Lúcia Muñoz dos Reis, falou hoje (7), em entrevista ao programa A Voz do Brasil, sobre os lançamentos feitos pelo governo federal durante o lançamento do programa Brasil pela Vida e pela Família, realizado no Palácio do Planalto.

Imagem ilustrativa da imagem Aplicativo Mães do Brasil oferece formação para voluntariado feminino
Imagem ilustrativa da imagem Aplicativo Mães do Brasil oferece formação para voluntariado feminino

Dentre as novidades, o programa Mães do Brasil convocará 100 mulheres que formarão uma rede de apoio para mães. O edital da iniciativa será lançado amanhã (8), e contará com a participação da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

“Todas as mães precisam de uma rede relacional. Uma rede de apoio. Ser mãe é um desafio. Os nossos bebês não vem com manual. A gente realmente precisa desse suporte, tanto do Estado quanto das nossas redes, para que a gente consiga bem viver o exercício da maternidade”, afirmou a secretária.

O programa Mães do Brasil conta com um aplicativo que está disponível para os sistemas Android e iOS. Com a ferramenta, as mães interessadas poderão fazer um curso de 150 horas para formar redes de apoio com a ajuda das prefeituras e do governo federal.

“No Mães do Brasil, a gente tenta trazer toda rede de apoio do governo federal e do governo local para ajudar aquela mãe. Aquela mãe que entende que o mercado de trabalho é um desafio? Nessa rede de voluntariado, isso será tratado. A mãe que precisa de capacitação profissional? A secretaria das Mulheres traz iniciativas para que ela seja reinserida no mercado de trabalho com equilíbrio entre trabalho e família”, explicou Ana Lúcia.

Para valorizar e fortalecer as uniões matrimoniais, o MMFDH também lançou hoje o programa Casar é Legal. A iniciativa visa educar pessoas interessadas em estabelecer laços fixos perante o Estado nos direitos e deveres relativos ao casamento. O projeto conta com a parceria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Para os interessados em entender mais sobre a união civil, estará disponível um curso digital no portal Escola Nacional da Família, com 10 horas de duração, e uma cartilha. O material também será distribuído em todos os cartórios civis do país.

Assista à entrevista: