POLÍTICA

min de leitura - #

Apucarana fecha prazo com 93.659 eleitores aptos a votar neste ano

Edison Costa

| Edição de 05 de maio de 2022 | Atualizado em 05 de maio de 2022
Imagem descritiva da notícia Apucarana fecha prazo com 93.659
eleitores aptos a votar neste ano

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Terminou nesta quarta-feira, dia 4, o prazo dado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que os cidadãos brasileiros pudessem tirar o primeiro título de eleitor, fazer transferência de domicílio eleitoral ou de local de votação e ainda regularizar pendências junto à Justiça Eleitoral. Quem não fez o primeiro título dentro deste prazo ou esteja com o título cancelado não poderá votar nas eleições de 2 de outubro deste ano.

A Comarca Eleitoral de Apucarana, que abrange também Cambira e Novo Itacolomi, fechou o prazo de cadastramento com 105.472 eleitores aptos a votar nas eleições deste ano. São 93.659 em Apucarana, 6.035 em Cambira e 2.778 em Novo Itacolomi. 

Nas eleições municipais de 2020, Apucarana tinha 91.751 eleitores, o que significa que ganhou mais 1.848 para o pleito deste ano.

Na Comarca de Arapongas, que abrange também Sabáudia, o total de eleitores aptos a votar fechou em 87.678, sendo 81.676 em Arapongas e 6.002 em Sabáudia.

Em ambas as comarcas, esses números ainda não estão completos, uma vez que há requerimentos que ainda não foram processados por um motivo ou outro e há transferências de domicílio ainda não computadas. Só na Comarca de Arapongas, segundo a chefe substituta da 61ª Zona Eleitoral, Simone Barros do Amaral, estão pendentes em torno de 1,5 mil requerimentos para serem analisados.

Os pedidos para tirar ou regularizar o título ou alterar dados do cadastro eleitoral serão avaliados pelos juízos eleitorais até 1º de junho. 

Segundo a chefe da 28ª Zona Eleitoral da Comarca de Apucarana, Andrea Silva Milanin, nos últimos três dias em que o cartório funcionou em horário especial, ou seja, de segunda a quarta-feira das 9 às 18 horas, cerca de 1.500 pessoas foram atendidas. Na quarta-feira, em torno de 600 pessoas procuraram o cartório. Nesses três dias 1.331 pessoas da comarca acessaram diretamente a internet para fazer o procedimento conforme cada caso.

“O prazo acabou, quem estava com o título cancelado é porque já estava cancelado, agora só vai poder regularizar sua situação depois das eleições de outubro”, observa Andrea Milanin.

NO  ESTADO

De 25 de abril a 4 de maio, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) recebeu um total de 278.147 requerimentos de alistamento eleitoral. Foram 109.686 atendimentos presenciais nas centrais do eleitor em todo o Estado e 168.461 pela internet. 

Na quarta-feira, último dia para tirar ou regularizar o título, a Justiça Eleitoral do Paraná recebeu 88.256 requerimentos, sendo 59.928 pela internet e 28.328 presencialmente. Até abril deste ano o Estado tinha em torno 8,5 milhões de eleitores.

Brasil ganha dois milhões de eleitores jovens em 4 meses

A mobilização de artistas e políticos para estimular os jovens a emitirem o título de eleitor deu resultado: entre janeiro e abril deste ano, o País ganhou mais de 2 milhões de eleitores com idades entre 16 e 18 anos. Os dados parciais foram divulgados pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, em sessão nesta quinta-feira. Segundo o ministro, o número de novos votantes nessa faixa etária cresceu 47,2% em relação ao mesmo período de 2018 e mais de 57% em comparação aos quatro primeiros meses de 2014.

“A juventude brasileira foi convocada a participar das eleições em outubro e a resposta foi impressionante. Bom lembrar que a Justiça Eleitoral sempre realiza campanhas de conscientização e incentivo ao eleitorado como um todo, em especial aos jovens, por meio da mídia e nas escolas. Desta vez, o que vimos foi a sociedade brasileira mobilizada pela democracia”, disse o presidente do TSE.

A campanha para emissão de títulos incluiu a cantora Anitta e o ator americano Leonardo DiCaprio, entre outros artistas. “A população respondeu ao chamado da Justiça Eleitoral, que não medirá esforços para realizar eleições limpas, transparentes, com paz e segurança”, declarou o ministro.