POLÍTICA

min de leitura - #

Câmara de Ivaiporã decide hoje se cassa ou não mandato de vereadora

DA REDAÇÃO

| Edição de 25 de janeiro de 2022 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Em sessão extraordinária marcada para esta terça-feira, às 18 horas, os vereadores de Ivaiporã vão votar o relatório final da Comissão Processante (CP) que pode cassar ou não o mandato da vereadora Gertrudes Bernardy (MDB), atual presidente do Legislativo Municipal. Sessão promete ser bastante concorrida com a presença de populares na frente do prédio.

A CP apura a participação da vereadora na comemoração do aniversário dela e de seis servidores, realizada nas dependências da Câmara em junho de 2021, quando estava em vigor decreto municipal proibindo festas e eventos que causassem aglomerações durante a pandemia do coronavírus.
A CP foi aprovada em novembro por quatro votos favoráveis e três contrários. Uma semana antes, foram arquivados pedidos de instalação de CP contra outros dois vereadores, que tiveram denúncias pelo mesmo motivo. Todos os vereadores votaram favoráveis ao arquivamento. 
Apesar do regimento interno da Câmara Municipal não prever proibições de atividades comemorativas, o argumento para formação da CP foi que a comemoração foi realizada durante a pandemia de Covid-19.
Gertrudes disse que foi feita uma surpresa aos aniversariantes, inclusive ela, e que os participantes se juntaram para cantar os parabéns e para tirar a foto. Disse ainda que as pessoas que estavam na festa eram todos servidores que convivem no dia a dia e que trabalham em espaço comum.
“Como era de costume na Câmara de Vereadores sempre foi comemorado o aniversário do mês. Mesmo em época de pandemia isso aconteceu desde o início do ano, inclusive, com outros vereadores que comemoraram da mesma forma. Apenas os funcionários e os vereadores se fizeram presentes. Diante de tudo isso, só posso acreditar em perseguição política e muito machismo”, afirma Gertrudes. 
A polêmica tem movimentado a população, principalmente, pelo fato de três vereadores terem sido denunciados, e apenas Gertrudes ter sido investigada e com risco de perder o mandato.