POLÍTICA

min de leitura - #

Lula tem vantagem de apenas 6 pontos sobre Bolsonaro pelo Paraná Pesquisas

Edison Costa

| Edição de 06 de julho de 2022 | Atualizado em 06 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Lula tem vantagem de apenas 6 pontos sobre Bolsonaro pelo Paraná Pesquisas

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem apenas seis pontos de vantagem sobre seu principal adversário, o presidente Jair Bolsonaro (PL), que busca a reeleição. 

De acordo com a consulta popular, na pesquisa estimulada o pré-candidato petista tem 41,1% das intenções de voto, contra 35,1% do atual presidente. A diferença é igual à da pesquisa feita pelo mesmo instituto no final de maio, quando Lula tinha 41,4% e Bolsonaro, 35,3%.

Os demais pré-candidatos não chegaram a dois dígitos. De acordo com a pesquisa, Ciro Gomes (PDT) é o terceiro e tem 7,4% das intenções de voto. Ele é seguido por Simone Tebet (MDB), com 2,5%, e André Janones (Avante), com 1,5%. Outros políticos que aparecem no levantamento registram menos de 1%. Pesquisa aponta que 3,7% não souberam responder ou não votam em nenhum e 6,6% anulariam o voto ou votariam em branco.

Já na pesquisa espontânea, quando uma lista com os nomes dos pré-candidatos não é apresentada aos entrevistados, Lula e Bolsonaro ficaram quase empatados. O ex-presidente aparece na frente, com 29,5% ,e o atual presidente, o segundo, com 27,7%. Ciro Gomes tem 2,5%, seguido de Simone Tebet, com 0,7%, Pablo Marçal (PROS), 0,3% e André Janones, 0,2%. Na espontânea, 31,1% não souberam responder ou não responderam e 7% disseram que não votam em nenhum ou vão anular o voto.

O levantamento, que foi realizado de 30 de junho a 5 de julho, ouviu 2.020 eleitores de 162 municípios do Brasil e está registrado no TSE sob o número BR-09408/2022. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos em um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa custou R$ 100 mil e foi paga pela BGC Liquidez. (COM TNONLINE)