BISPO DOM CARLOS JOSÉ

min de leitura - #

Corpus Christi

Da Redação

| Edição de 15 de junho de 2022 | Atualizado em 15 de junho de 2022
Imagem descritiva da notícia Corpus Christi

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

“Eu sou o Pão da Vida”(Jo 6, 35)

Todos os sacramentos contêm os dons de Deus e são imprescindíveis para quem deseja alcançar a santidade. Em todos eles, quando bem vividos, encontramos forças para caminhar rumo às coisas do Alto e de nosso dia a dia. Contudo, os demais sacramentos nos conduzem para a Eucaristia, que é o mais excelente e digno Sacramento do Altar de Jesus, pois Nela está contido por inteiro, o Próprio Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! Alimento completo da alma e do corpo, da mente e do coração. “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6, 54). O Batismo nos encaminha para a vida; a confissão dos pecados nos conduz à misericórdia do Pai e nos abre à conversão, o Crisma nos renova na fé e no seguimento de Jesus e a Eucaristia torna-se o ápice da nossa comunhão com Cristo, por Cristo e em Cristo.

Mais do que irmos a Ele, Ele mesmo deseja vir até nós, pois, é seu desejo viver conosco: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e Eu nele” (Jo 6, 56). Assim como é necessário o alimento terrestre para o sustento do nosso organismo, também o é a Santíssima Eucaristia para nossa alma, porém, ao contrário da comida que, ao ser ingerida se transforma em nossa substância, ao recebermos a Eucaristia somos transformados na natureza de Jesus Cristo. 

Santo Agostinho nos revela: ‘Ó prodígio de amor! O Deus tão poderoso, que tem o céu por seu trono, a terra por escabelo, os exércitos dos anjos por ministros, as estrelas por coroa; esse Deus tão grande, tão imenso, que nem os céus podem conter em seus vastos espaços; esse Deus se tornou sustento para nos fazer participar de sua natureza divina!’ O Mistério Eucarístico da transubstanciação somente pode ser compreendido pela fé; tal Mistério não se exprime em palavras, pois elas não alcançam tamanha graça. “A cada Santa Missa celebrada, Cristo se faz presente inteiro em cada uma das espécies e inteiro em cada uma das partes delas, de maneira que a fração do pão não divide o Cristo” (Cat. Igreja Católica, 1377). Que riqueza nos é dada, quanto amor se exprime na Sagrada Comunhão! Pedimos tanto a Deus em nossas preces diárias e, por vezes, nos esquecemos que, mesmo sem que peçamos, Ele se nos dá diariamente na Eucaristia! Diante de tão grande Amor, adorar Jesus Eucarístico publicamente é o chamado a todo cristão no dia da Celebração do Corpo do Senhor. 

De que adiantaria comungarmos o Corpo e o Sangue de Cristo e não darmos testemunho público de nossa fé? O verdadeiro cristão tem em si a alegria e o dever de evangelizar e, sem constrangimento, testemunhar que se alimenta de Jesus, vivo e real na Santíssima Eucaristia. Celebrar com devoção e amor a Festa de Corpus Christi é, antes de tudo, celebrar a fé no Alimento incorruptível que tira de nós a corrupção do pecado. Vivamos com alegria, fé e verdadeira devoção a Celebração de Corpus Christi, adorando-O e manifestando publicamente o nosso amor por Jesus Eucarístico, cujo Corpo e Sangue comungamos. ‘A devoção à Eucaristia é a mais nobre de todas as devoções, porque tem o próprio Deus por objeto; é a mais salutar porque nos dá o próprio autor da Graça, é a mais suave, pois suave é o Senhor”. (São Pio X). A exemplo da Virgem Santíssima que carregou Jesus em seu ventre, nós, que O recebemos em comunhão e O carregamos em nosso coração sejamos, ainda que sem méritos próprios, ‘Sacrários vivos da Eucaristia’.