POLÍTICA

min de leitura - #

Bolsonaro anuncia troca de 11 ministros em março em decorrência das eleições

DA REDAÇÃO

| Edição de 04 de fevereiro de 2022 | Atualizado em 17 de fevereiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou ontem a troca de 11 ministros em 31 de março em razão das eleições gerais e acenou para a possibilidade de dar um cargo ao senador Marcos Rogério (PL-RO). A data é a limite para a que ocupantes de vários cargos públicos sejam exonerados para disputarem as eleições.

“Está previsto no momento que 11 ministros vão disputar eleição. Vamos ter ministérios-tampão. Eu tenho profundo apreço pelo (Marcos) Rogério, a gente pode conversar, mas nada decidido ainda”, disse Bolsonaro em Porto Velho, antes de se encontrar com o presidente do Peru, Pedro Castillo.
Da tropa de choque do governo na Comissão Parlamentar de Inquérito da (CPI) da Covid, Marcos Rogério é senador por Rondônia e estava ao lado do presidente no momento da declaração. “Dia 31 de março é grande dia, 11 saem, 11 entram. Da minha parte, só vão ficar sabendo pelo Diário Oficial da União”, acrescentou o presidente.
Bolsonaro foi a Rondônia participar de uma reunião com o presidente do Peru, Pedro Castillo. Antes do encontro, ao ser indagado sobre o comentário “Perdemos o Peru”, que fez em junho do ano passado, quando Castillo liderava a contagem de votos nas eleições, o brasileiro afirmou estar “tudo superado”.
“O que acontece: nós queremos uma América do Sul livre, liberdade de expressão, liberdade de imprensa para todos aqui. Logicamente que esse encontro aqui tem a ver com isso, nós podemos só ter boa relação se a democracia imperar de fato no seu país. Tudo superado”, disse.
O presidente brasileiro também foi questionado pela imprensa sobre a suposta pressão da diplomacia americana para que desistisse de uma viagem à Rússia prevista para este mês, em função do aumento de tensões por conta de tropas russas próximas à Ucrânia. “Brasil é Brasil. Rússia é Rússia. Faço um relacionamento com o mundo todo. Assim como se o Joe Biden me convidar, estarei nos Estados Unidos com o maior prazer”, respondeu.