POLÍTICA

min de leitura - #

Quatro prefeitos da Amuvi integram missão que representa Paraná na ONU

Claudemir hauptmann

| Edição de 14 de junho de 2022 | Atualizado em 14 de junho de 2022
Imagem descritiva da notícia Quatro prefeitos da Amuvi integram missão que representa Paraná na ONU

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Quatro prefeitos do Vale do Ivaí vão compor uma missão técnica ao exterior, de 15 prefeitos que irão representar o Paraná em Genebra, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). A comitiva é organizada pela Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e pelo governo do Estado, dentro de um convênio internacional que visa a formação de gestores públicos e a captação de recursos para ações de desenvolvimento sustentável. 

Do Vale do Ivaí, estarão na comitiva os prefeitos de Jandaia do Sul, Lauro Junior; de Jardim Alegre, José Roberto Furlan; de Faxinal, Ylson Álvaro Cantagallo e, de Cambira, Emerson Toledo Pires. 

A comitiva de prefeitos vai a Genebra no final de junho, para uma missão técnica de 5 dias, em mais uma ação do processo de aceleração de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A ação é resultado do convênio, firmado recentemente em Dubai, nos Emirados Árabes, pelo governador Ratinho Junior e pelo diretor-executivo da Unitar (entidade que integra o sistema da ONU), Nikhil Seth.

Na prática, a missão é o início do Programa Universidade dos Prefeitos, que prevê uma série de benefícios viabilizados para as cidades e prefeitos, no contexto de qualificação dos gestores municipais.  O lançamento oficial da plataforma de conhecimento, com apresentação da aula magna, será entre os dias 28 e 30 de junho.

O prefeito de Cambira, Emerson Toledo Pires, diz que essa é uma oportunidade única de conhecimento para o desenvolvimento Regional. “Sou Grato a equipe do Governo Estado e a AMP pelo convite em estar representando os municípios do nosso Estado”, disse. Para ele, não há dúvidas de que o programa vai trazer benefícios. “É uma oportunidade para captação de recursos, busca de tecnologia e de inovação. O feedback é muito grande por conta do contato com lideranças do mundo todo, dentro de uma visão de sustentabilidade”. Ele está particularmente interessado na apresentação de três projetos financiados pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, estimulando espaços criativos e cidades engenhosas com ações integradas. “Este projeto visa desenvolver a próxima geração”, comenta, lembrando que esse trabalho vai continuar por 1 ano após esse fórum, em Genebra.

O prefeito de Jandaia do Sul, Lauro Junior, também afirma que a oportunidade é única. “Vamos buscar soluções inteligentes para cidades sustentáveis e também para buscar algo melhor para o nosso estado”, comenta.

Júnior Weiller, prefeito de Jesuítas e presidente da AMP, ressalta que a missão é de caráter exclusivamente técnico. Ele assinala que o Paraná é o Estado mais sustentável do Brasil, o que comprova o compromisso com os 17 ODS e reforça a importância da viagem. “Será uma missão exclusivamente técnica e de trabalho muito importante, voltada a prefeitos e prefeitas, que visa a sua capacitação e a captação de recursos para os municípios. Temos que encarar esta missão com muito orgulho porque vamos representar nosso Estado. Por isso, é fundamental a participação”, disse.


Momento de mostrar potencial da região

Para o prefeito de Jardim Alegre, José Roberto Furlan, esse será momento importante de mostrar o potencial de desenvolvimento do Vale do Ivaí e de conhecer as prioridades dos potenciais parceiros ligados ao programa. Furlan se mostra particularmente interessado nas ações no contexto das energias renováveis. Ele destaca que em Jardim Alegre a administração já conseguiu economizar mais de R$ 1 milhão em 4 anos, ao promover a troca de lâmpadas tradicionais pelas de tecnologia LED na rede pública, e também pelo uso de sistema fotovoltaico, com a instalação de uma mini usina local. A prefeitura já está articulando para instalar uma segunda usina do gênero. “A energia sustentável e renovável são o futuro de nossas cidades, de nossa sociedade. E o Vale do Ivaí tem todo um potencial ainda a ser desbravado, como o próprio Rio Ivaí. Precisamos estudar as possibilidades, conhecer as tecnologias e alternativas para encontrar nossos caminhos de desenvolvimento sustentável”, diz. “Imagine se faltar energia. Imagine o tamanho do impacto disso para todos”, justifica.